GOSTO AMARGO. Árbitro anula gol legítimo de Ademir e, apesar da pressão, CAP amarga empate com Democrata em casa: 1 x 1

Time Grená pressionou quase o jogo todo, mas não conseguiu além do empate com a Pantera

 

gol-legitimo-anulado 

No lance mais contestado do jogo: gol legítimo de Ademir anulado e depois de falta em Régis. Fotos: Rede Hoje


Por Luiz Antônio Costa | Rede Hoje Módulo FM


 Num jogo em que o árbitro apareceu mais que todos em campo e que o CAP não mostrou a mesma inpiração dos outros jogos, Clube Atlético Patrocinense e Democrata de Governadores Valadares empataram em 1 x 1, pela quinta rodada do Campeonato Mineiro, neste domingo, no Estádio Pedro Alves em Patrocínio. O time de Patrocínio foi prejudicado com a anulação de um gol legal.

 

O Patrocinense agora, ocupa a nona posição com 6 pontos ganhos e o Democrata está no 11a lugar com 4. O próximo adversário do CAP é o Tupi, em Juiz de Fora, na sexta-feira, 9, às 20h. Já o Democrata recebe o Cruzeiro, também na sexta, 21h30, em Governador Valadares.

 

O jogo. Jogando em casa o Patrocinense dominou totalmente as ações. O Democrata Pantera, mas parou num adversário que fez cera o tempo inteiro, jogando todo do meio de campo para trás, explorando os contra-ataques.

 

GOL-DEMOCRATA

 

O gol do Democrta saiu aos 19 minutos de jogo, numa falha do goleiro Neguet

 

Gol de adversário. Todos os problemas do CAP começaram aos 19 minutos do primeiro tempo. O time dominava o jogo, até que num contra ataque, houve uma falta a favor do Democrata pelo lado direito de ataque, de longa distância. O meia Fernando bateu e jogou a bola na área. Marcinho Gomes subiu para cabecear, o goleiro do CAP, Neget, subiu mal e a bola ficou limpa para Carlão fazer 1 a 0 para o adversário. Limpo, sem impedimento.

 

O gol tirou um pouco da estabilidades do time e tranquilizou de vez o Democrata. O goleiro Tiago, do visitante, passou o resto do jogo ganhando tempo nos tiros de meta e na simulação de contusões. Cada atleta do Democrata que caia necessitava do médico em campo.

 

Logo no começo deu pra sentir a insegurança de Jeferson Antônio da Costa, o árbitro do jogo. Ele pediu ao 4o árbitro, Emivaldo Marques da Silva, que verificasse todos os portões de acesso ao gramado. Isso durou exatos 13 minutos. Enquanto não foi verificado um por um dos que estavam em campo, se era credenciado, ele não começou o jogo. Quanto a isso estava certo, mas poderia ter feito antes do horário do jogo.

 

Gol anulado. Com a bola rolando, uma arbitragem confusa. Não marcou pelo menos um penalti claro em Ademir e anulou um gol legítimo do próprio Ademir, ainda no primeiro tempo. A bola foi levantada na área por Danilo Tarraxa, pela esquerda, o atacante Marcelo Régis entre os dois zagueiros do Democrata foi empurrado pelas costas por Allan Miguel sobre Carlão, nisso a bola sobrou para Ademir que fez um golaço. O árbitro apitou falta de Marcelo Regis em Carlão.

 

Perda de Ângelo. Para piorar as coisas, já no final do primeiro tempo, lateral Ângelo sofrendo uma lesão na coxa esquerda e o técnico Rogério Henrique teve que improvisar o volante Mario César, como lateral direito. No lugar de Ãngelo, entrou Peixoto que foi para o meio. Segundo informações do departamento médico do CAP essa lesão tira o lateral, com certeza, do jogo contra o Tupi e talvez por mais semanas.

 

O Patrocinense pressionou, martelou a defesa do Democrata, mas não era o dia. A bola tocava em alguém na zaga, batia no goleiro. Teve um momento, numa pressão total da Águia, que aconteceu um bate rebate incrível na área, até o goleiro Tiago, depois de a bola sair para escanteio, cair e tentar enfriar o time Grená.

 

As alterações que Rogério Henrique fez, tirando Berger – que não estava bem no jogo – e colocando Thiago Brito, que reascendeu o time pela esquerda e substituindo Marcelo Régis por Gênesis, deu mais mobilidade à equipe patrocinense.

 

GOL-CAP

 

O gol de empate do Patrocinense: Carlão do Demotrata, contra 

 

Gol Grená. A pressão só crescia, até que aos 40 minutos do segundo tempo, Peixoto, pela direita, fez um cruzamento na área e no tumulto, o mesmo Carlão que havia feito o primeiro gol do jogo para o Democrata, tentou tirar de cabeça e meteu a bola no fundo das próprias redes. Tudo igual: 1 a 1.

 

O CAP ainda teria 10 minutos de pressão sobre o adversário – uma vez que o árbitro deu mais cinco de acréscimo. O lateral e capitão da Pantera, Alan Silva, acabou foi expulso. Mesmo com um jogador a menos, o Democrata conseguiu segurar a pressão total dos grenás que tentavam a todo custo virar o placar. Porém, não surtiu mais efeito e o placar final ficou no 1 a 1.

 

Insatisfeitos. Não faltou luta para nenhum dos lados. Foi um jogo contraindicado para cardíacos. No final os dois técnicos reclamavam: “cedemos o empate no final do jogo, dava pra segurar, apesar da pressão”, lamentava Gilmar Estevam do Democrata. Já Rogério Henrique, do CAP, diz que “tivemos praticmanente 85% de posse de bola, mais de 20 finalizações, contra quatro deles(Democrata), domínio completo do jogo e infelizmente a boa não entrou", lamentou.

 

Ficha Técnica

C.A. Patrocinense: Neguet; Ângelo (Diogo Peixoto), Diego Borges, Nilo e Danilo Tarracha; Mario César, Leomir, Berger (Thiago Brito) e Juninho Arcanjo; Mario Régis (Gênesis) e Ademir. Técnico: Rogério Henrique

 

E.C. Democrata: Tiago Rocha, Alan Silva, Alan Miguel, Carlão e Wallace; Ruan, Wallison (Kevin), Ribeiro e Fernando; Marcinho Gomes (Jones) e Marcinho Oliveira (Romarinho). Técnico: Gilmar Estevam

 

Arbitragem: Jeferson Antônio da Costa, Marcio Eustáquio Santiago e Luiz Antônio Barbosa.

Cartões amarelos: Ademir, Juninho Arcanjo e Nilo (Patrocinense); Jones (Democrata)

Cartão vermelho: Alan Silva (Democrata)

 

Público: 2.219,00(não estão inclusos os sócios torcedores)

Renda: R$ 43.400,00

 

RESULDATOS DA RODADA

 

5a-RODA-RESUL

 

CLASSIFICAÇÃO

5a-RODA-CLASSIL

 

ARTILHARIA

5a-RODA-ARTIHL

PRÓXIMA RODADA

 

5a-RODA-PROXI

 


radio-hoje-banner-686x113